quinta-feira, junho 30, 2011





Suspiro, sorrio, desfaço o abraço.Então, com as mãos vazias, finalmente começo a navegar. (Caio Abreu)
"A saudade é a nossa alma dizendo para onde ela quer voltar"
Rubem Alves

quarta-feira, junho 29, 2011

Ei! Ei! É logo ali! Virando a esquina! - me gritou o senhor fantasiado de palhaço.
E fui em direção a esquina!

domingo, junho 26, 2011

Tenho sentido uma enorme e discretíssima felicidade apenas por acordar
cedo (acordar já é vitória; cedo, vitória dupla), fazer café, fumar um cigarro, abrir
janelas, arrumar a cama. Depois, tomar um mate e ler o jornal, então, é o paraíso. (Caio Abreu)

terça-feira, junho 21, 2011

Merda e ouro (Paulo Leminski)
Merda é veneno. / No entando, não há nada / que seja mais bonito / que uma bela cagada. / Cagam ricos, / cagam padres, / cagam reis e cagam fadas. / Não há merda que se compare / à bosta da pessoa amada.

segunda-feira, junho 20, 2011

Se me perguntarem como estou, eis a resposta: Estou indo. Sem muita bagagem. Pesos desnecessários causam sempre dores desnecessárias. Esvaziei a mala, olhei no fundo dela, limpei, e estou indo… preenche-la com coisas novas. Sensações novas, situações novas, pessoas novas. Tudo novo.

— (Caio Fernando Abreu)

sexta-feira, junho 17, 2011

Eu saio e caminho por um momento
Cantando pela rua.
Eu sopro um beijo, eu dou um sorriso
Para todos que eu conheço.
Eu me compro uma cerveja ou duas
Só pra deixar meu peso para trás
Às vezes eu fico tão bêbado
Eu posso apenas cantar como uma criança (Janis Joplin)
Só preciso de alguns abraços queridos, a companhia suave, bate-papos que me façam sorrir, algum nível de embriaguez e a sincronicidade.
(Caio Fernando Abreu)

quinta-feira, junho 16, 2011

Sinto-me terrivelmente vazio. Há pouco estive chorando, sem saber exatamente por quê. Ás vezes odeio esta vida, estas paredes, essas caminhadas de casa para a aula, da aula para casa, esses diálogos vazios.
Caio Fernando Abreu

segunda-feira, junho 13, 2011

Algumas sacadas de Caio Abreu são incríveis...hehe!

Não me venha com espiritualidades transcedentais. Tenho mais nojo de tuas flores amarelas do que de teu cu. Tua alma me importa menos que teu cheiro de suor. (Do Conto: Dodecaedro)

quinta-feira, junho 09, 2011

Desculpa de bêbado...

rapidinhas...

Problemas da humanidade...

Que burro! Dá zero pra ele!!!

Trilha sonora da semana..hehehe! "Onde queres quaresma, sou fevereiro!"

Abaixo, alguns trechos da música que tem martelado minha cabeça na semana...

E onde queres dinheiro, sou paixão
Onde queres descanso, sou desejo
E onde voas bem alto, eu sou o chão
Onde queres família, sou maluco
E onde queres romântico, burguês
E onde queres eunuco, garanhão
Onde queres o sim e o não, talvez
Onde o queres o lobo, eu sou o irmão
E onde queres cowboy, eu sou chinês
Onde queres o ato, eu sou o espírito
E onde queres ternura, eu sou tesão
Onde queres prazer, sou o que dói
E onde queres tortura, mansidão
Onde queres um lar, revolução
E onde queres bandido, sou herói

Eu te quero (e não queres) como sou
Não te quero (e não queres) como és



segunda-feira, junho 06, 2011

Dias dos namorados se aproximando e algumas piadas andam rolando pela net. Algumas, no minímo, possuem uma inteligência e um senso de humor de caráter duvidosos:
 "dai se vou passar o dia dos namorados sem namorado? eu tbm não passo o dia do indio com um indio, não passo o dia da arvore com uma arvore, muito menos o dia de finados com um difunto. kk"

quinta-feira, junho 02, 2011

Restart nãooo mamãeee!!!

Desde pequeno já sabe o que não presta, hein! hehe

E dá-lhe música mela-cueca!

Um surto nostálgico de músicas da adolescência...Passa! É só essa semana e isso passa! Mas enquanto não passa, eu levo o cd pra casa, aumento o volume, coloco pra repetir...Essa música me lembrou os primeiros anos da graduação, onde a gente queria beber onde não devia e queria «pagar de intelectual» onde o povo era tudo louco!!!

Quinta-feira! E a promessa de que hoje me pagariam cerveja..hehe!


Fotografado com um copo na mão
Às três da tarde em plena faculdade
Pode ser esperto mas não é discreto
Macula minha boa reputação
Quero me livrar dessa fama

Fotografado com um livro na mão
À meia-noite num canto da boate
Tem seu encanto intelectual
Mas macula minha fama de mau
Quero me livrar dessa fama

Já que ninguém tem nada com isso
Posso fazer o que eu quiser
Já que eu não tenho mesmo ninguém
Seja o que Deus quiser